quinta-feira, 11 de abril de 2013

Relação entre pais e filhos.



Ninguém olha o mundo com os olhos dos outros

A relação entre pais e filhos é uma relação íntima, ou seja, de muitas expectativas entreambos. Os pais torcem para que seus filhos sejam estimáveis, adequados, capazes e fortes e os filhos esperam ser compreendidos pelos pais quando não atenderem totalmente suas expectativas. Quando os filhos correspondem a relação segue tranquila,
quando os filhos são compreendidos por não corresponderem a relação continua tranquila. Pais de filhos pequenos compreendem mais as frustrações, pois imediatamente justificam os resultados dos filhos como específicos, passageiros e não intencionais. Podem pensar: - "Daqui a pouco será exatamente como eu quero". Filhos pequenos também aceitam melhor, embora depois de uma boa birra, quando não são compreendidos, porque são mais otimistas nesta fase. Mas, na medida que as crianças demonstram maior domínio as expectativas dos pais aumentam e tornam-se regras e os fracassos podem ser considerados intencionais, gerais e permanentes, causando grandes danos na relação.Pais agem como se tivessem sido desconsiderados totalmente pelos filhos; e os filhos podem reagir com indignação ou depressão. É preciso que os pais lembrem-se que as expectativas são sonhos, metas, desejos apenas imagináveis, ou seja, mesmo que importantes elas são apenas hipóteses criadas em sua mente ou em seu coração. Não há problemas em desejar, torcer, querer e até colaborar para que as hipóteses se concretizem, mas não podem tornarem-se exigências ou regras condicionais para os filhos.
Psicóloga  Cleusa dos  Santos

               ``O respeito pelos pais só resiste enquanto os pais respeitem o interesse dos filhos.``
                                                                                                                       Raúl Brandão



Nenhum comentário:

Postar um comentário